Funil de vendas: o que é e 3 cuidados para fazer o seu

Funil de vendas

Sem dúvida o funil de vendas é uma das formas de aumentar seus resultados. Afinal, é com ele que se qualificam leads, se aprimora o relacionamento com eles e se conquista a confiança necessária para o fechamento.

Porém, mais do que pensar nos resultados dessa estratégia, é preciso entender o que é esse processo. Inclusive, compreendendo como montar o fluxo ideal para o seu negócio.

Por isso, na sequência você confere:

  • O que é o funil de vendas;
  • Quais são suas etapas;
  • 3 cuidados para fazer o seu.

Preparado para aumentar sua performance? Então, siga a leitura!

O que é o funil de vendas

Acima de tudo, o funil de vendas é o seu processo comercial. Sendo assim, uma forma de acompanhar os leads e clientes dentro do relacionamento com a sua marca.

Na prática, o lead que está no topo iniciou agora o envolvimento com a empresa e precisa ser educado e trabalhado para se qualificar.

Dentro dessa lógica, quem está no fundo do funil, garante maiores oportunidades de fechamento.

Com essa forma visual e prática de dividir os momentos de contato e fases do possível cliente, os vendedores podem priorizar suas ações.

Da mesma maneira, esse cuidado ajuda a gestão a determinar quais esforços e foco serão feitos por cada participante do processo de vendas.

Assim, por exemplo, a equipe de Marketing Digital poderá focar na obtenção de novos contatos, enchendo o topo. Trabalho que será feito com o suporte do comercial e seus feedbacks nas demais etapas da jornada.

Já os Closers terão condições e informações para levar à assinatura do contrato. Criando um fluxo que faça sentido e de fato amplie as vendas.

Dessa forma, quanto mais assertivo for o funil de vendas, maiores serão as oportunidades. Por isso, é importante entender como essa estratégia é construída.

Então, quais são as etapas

Funil de vendas_cuidados

Em primeiro lugar, é muito comum que se pergunte quantas fases deve ter um funil de vendas? Entretanto, esse é um tema para o qual não existe fórmula pronta.

Assim, as etapas de qualificação e relacionamento dependerão diretamente da complexidade do processo comercial.

Geralmente, vendas B2B são mais complexas e possuem mais passos. Já a B2C podem ser mais curtos, de acordo com o produto ou serviço.

Dessa forma, muitos são os fatores que influenciam na criação do funil de vendas. Porém, suas fases sempre irão preencher três pilares comerciais básicos:

  • Pré-vendas: onde as oportunidades serão qualificadas com diversas estratégias. Como e-mails, telefonemas, mensagens via WhatsApp e até encontros presenciais, por exemplo;
  • Vendas: é a hora de educar, gerar valor e criar confiança. Assim, nesse momento, se levantam as dores, se apresenta a oferta e se entende de que forma o produto ou serviço entrega solução. A negociação faz parte desse processo, sendo fundamental fazer os devidos follow ups para manter o lead aquecido;
  • Pós-vendas: na etapa anterior, ocorreu o fechamento? Então, vá para o terceiro nível, onde o vendedor deve ser responsável por ouvir um feedback e saber a experiência do cliente. É aqui que se geram indicações e se colhem dados para a melhoria dos processos.

3 cuidados para fazer um funil de vendas

Por fim, entendido o conceito, importância e principais etapas, agora você deve ficar por dentro dos cuidados para fazer um funil de vendas. Então, confira as dicas!

1) Use as ferramentas certas

Dessa forma, uma boa opção e utilizar um CRM de vendas, como o da Linkseller. Essa plataforma te auxilia a acompanhar todo o processo comercial. Além disso, oferece métricas em tempo real e informações estratégicas para a tomada de decisão e construção e adequação do funil de vendas.

2) Evite os achismos

Em segundo lugar, montar uma estratégia em cima de percepções tende a prejudicar sua performance. Por isso, acompanhe de perto o time comercial e seus resultados. Ajuste seu planejamento e métricas sempre que necessário.

Trabalhar em cima do “eu acho”, não! Construa com base em dados reais! Assim, você precisa conhecer a jornada de compra do cliente, entendendo cada comportamento e decisão dele nesse caminho.

3) Não complique as etapas do funil de vendas

Enfim, outro erro comum é querer rebuscar algo que é simples com estrangeirismos ou nomenclaturas complicadas. Pior ainda, com passos demais em cada fase do funil de vendas.

Geralmente, essa linha não funcionará, pois todos os envolvidos no processo precisam entender o que devem fazer em cada etapa.

Dessa forma, um dos cuidados essenciais é “quanto menos, melhor. Quanto mais simples, mais tende a dar certo”. O funcional, o simples, não deve ser visto como ineficiente. Pelo contrário!

Por isso, agora fica o convite para você refletir sobre o que leu aqui e testar novas estratégias. Boas vendas!