Growth hacking: o que é e 5 benefícios para acelerar suas vendas

Growth Hacking

Toda empresa precisa crescer. O desafio para isso está na descoberta do melhor caminho para o growth hacking, ou seja, alcançar resultados rápidos para o crescimento.

Essa é uma das técnicas utilizadas pelas startups de sucesso que você conhece. Porém, embora seja uma tendência mundial, muitas pessoas ainda não sabem o que é essa estratégia. Por isso, neste artigo, você poderá:

  • Saber o que é growth hacking;
  • Conhecer seus 4 pilares e os 5 estágios do funil;
  • Descobrir 5 benefícios principais.

Então, boa leitura!

O que é growth hacking?

Em primeiro lugar, para entender o conceito é essencial conhecer sua origem. Então, saiba que foi em 2010 que Sean Ellis utilizou a expressão growth hacking pela primeira vez.

Após analisar empresas que conquistavam resultados rápidos, ele descobriu algumas similaridades:

  • Não usavam o marketing convencional;
  • Possuíam equipes multidisciplinares;
  • Focavam esforços contínuos em análise de dados e métricas;
  • Desenvolveram um manual de melhorias constantes e crescimento sustentável.

Assim, com essas percepções, ele criou o conceito: “Growth hacking é marketing orientado a experimentos”. Ou seja, é o crescimento rápido com base nas brechas encontradas no mercado e exploradas pelo time:

  • Growth: crescimento;
  • Hack: brecha, espaço ou recorte;
  • Hacking:

Nesse contexto, existem muitas formas de aplicar a técnica, entretanto a que faz mais sentido foca no seguinte passo a passo:

  • Identificação de um problema (objetivo);
  • Discussão de ideias que possam resolvê-lo (hipóteses);
  • Resolução deste ponto para elevar a performance com melhorias focadas (experimentos);
  • Análise de erros e acertos, inclusive com o uso de ferramentas de analytics e automação, por exemplo;
  • Aprender com as vitórias e derrotas para fazer novos testes até alcançar o crescimento desejado.

Quais são os 4 pilares do growth hacking e os 5 estágios do funil?

Growth Hacking_benefícios

Agora, para colocar em prática o growth hacking é preciso conhecer seus 4 pilares e também os 5 estágios do seu funil.

O primeiro, orientará a aplicação da técnica, ou seja, dará um propósito. Já o segundo, fará com que você entenda a lógica de acompanhamento da ação.

Pilares

1) Product-Market Fit

A estratégia só fará sentido a partir do momento que você tenha um produto ou serviço que possua demanda no mercado. Dessa forma, é preciso, acima de tudo, identificá-lo e criá-lo.

Sean Ellis elaborou a Regra dos 40% para essa fase, que consiste na aplicação de um questionário com os clientes que verifica como eles se sentiriam se o item deixasse de existir.

Se mais de 40% responder que “sentiria falta” ou ficaria “muito desapontado”, você já sabe que está no caminho certo.

2) Growth Hacks

Em segundo lugar, estão as ideias, o que pode ser feito para gerar resultados rápidos e com um custo baixo. Levante questões, hipóteses e experimentos que possam gerar o growth hacking.

3) Escala e viralização

Quanto menor o custo, melhor. Então, pense sempre na escala e viralização, ou seja, na capacidade que a ação terá de tornar os clientes em propagadores do produto ou serviço.

4) Otimização e retenção

Por último, é preciso otimizar a ideia que deu mais certo e tornar a experiência do consumidor mais efetiva e satisfatória.

Assim, se retêm os clientes e começa a se consolidar uma base de compradores fiéis o que por si só contribui para um crescimento rápido e constante.

Funil do growth hacking

Em conjunto com as ações acima, você também pode trabalhar o funil de growth hacking, que é composto pelas seguintes fases:

1) Aquisição: práticas que atraiam e conquistem novos clientes.

2) Ativação: foco na experiência positiva, como através de um atendimento personalizado e de qualidade, por exemplo;

3) Retenção: quando há a satisfação e a vontade dos consumidores de seguirem usando o produto ou serviço;

4) Receita: os compradores conquistados seguem consumindo e fazendo parte do faturamento;

5) Indicações: enfim, é a hora em que a fidelidade gera a indicação para amigos e conhecidos.

5 benefícios do growth hacking para acelerar suas vendas

Por fim, como você viu, o benefício principal e óbvio do growth hacking está no crescimento dos lucros e, consequentemente, das vendas sem gerar custos elevados.

Porém, outras vantagens da técnica podem ser citadas:

1) Menor custo para a retenção e fidelização;

2) Ação focada, ou seja, o resultado é sempre o objetivo. Não se perde tempo com desvios de atenção;

3) Identificação de oportunidades, assim como de melhorias;

4) Redução de gastos desnecessários, já que se aprimoram processos;

5) Criação de uma cultura interna de melhoria contínua, especialmente focada em vendas.

Agora, fica o convite para conhecer o CRM de vendas da Linkseller. Afinal, essa ferramenta te ajudará a analisar métricas, organizar informações de clientes e acompanhar tudo o que está sendo feito na estratégia de growth hacking.

Teste gratuitamente por até sete dias, conheça todos os recursos e boas vendas!