LGPD: o que é, como funciona e 7 boas práticas para adotar

LGPD

Hoje a Linkseller compartilha com você informações importantes sobre a LGPD, a Lei Geral de Proteção de Dados.

Afinal, esse é um movimento global que visa preservar o direito de privacidade de dados ao cidadão.

Toda essa movimentação se iniciou depois do vazamento massivo e repetitivo de informações pessoais de usuários do Facebook.

Começou com cerca de 87 milhões de pessoas em 2018 e se estendeu até impressionantes 540 milhões em 2019.

Assim, não só a gigante rede social, mas empresas de todos os setores e do mundo todo passaram a sofrer pressão para garantir o direito à intimidade.

O primeiro marco e que inspirou a LGPD foi a GDPR, lei europeia de proteção de dados. Inclusive, ela impõe multas altas, que podem chegar a 20 milhões de Euros.

Então, veja na sequência o que diz a legislação brasileira, como ela funciona e as boas práticas esperadas por aqui.

Entenda o que é a LGPD e como ela funciona

Em primeiro lugar, a LGPD é uma nova legislação que prevê como os dados pessoais dos usuários podem ser usados. Inclusive, em veículos, serviços e produtos digitais.

Assim, ela refere-se a todo tipo de troca de informações de cunho pessoal, seja por pessoa física ou jurídica, de direito público ou privado.

Dessa forma, seu principal objetivo é proteger os direitos de liberdade, privacidade e o livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural.

Suas diretrizes estão descritas na Lei Nº 13.709/2018. Embora tenha sido criada em 2018, as suas principais regras quanto aos dados pessoais entram em vigor apenas em maio de 2021.

Também é importante que você saiba que independente do porte e nicho da sua empresa, você pode estar sujeito a essa legislação.

Afinal, ela se aplica a negócios de qualquer porte, desde que lidem com informações dos clientes em diversos aspectos.

Nome, telefone e e-mail, por exemplo, são dados simples, mas que são contemplados pela lei.

Da mesma maneira, quem tiver cadastros de clientes também deverá seguir o regulamento.

Então, tire outras dúvidas sobre o funcionamento da LGPD no portal LGPD Brasil. O site reúne as principais informações sobre o que pode ou não ser feito.

Assim como, divulga o que é esperado legalmente das empresas que lidam com dados pessoais.

Como começar a implementar a nova lei

LGPD_boas práticas

O primeiro passo para aderir a LGPD é organizar a sua empresa, assim como os fluxos e processos de captura de dados.

Dessa forma, identifique quem é o “Operador” e o “Controlador”, conforme previsto na lei.

Geralmente, o “Operador” será a sua empresa. Ou seja, quem trata os dados em nome do cliente.

Obviamente, o “Controlador” será aquele que fornece as informações pessoais e tem o poder de tomar decisões quanto ao tratamento delas.

Então, no caso da Linkseller, por exemplo, somos o “Operador” e os consumidores que utilizam nosso CRM de vendas o “Controlador”.

Entretanto, também é importante identificar o papel dos fornecedores ou de outros envolvidos que processem ou forneçam dados pessoais.

Portanto, tenha atenção nessa definição e na observação de seus fluxos e processos.

7 boas práticas para adotar a LGPD

Bom, como o principal objetivo da LGPD é desenvolver no Brasil uma cultura que aumente o respeito à privacidade de dados, é esperado que as empresas que lidam com essas informações tomem uma série de cuidados.

Assim, entre eles estão as seguintes boas práticas:

1) Ter clareza nos seus termos e condições, deixando claro o motivo da captura de dados;

2) Deletar os dados que forem solicitados pelo usuário, imediatamente;

3) Evitar solicitar informações sensíveis em formulários, como questões religiosas, políticas, de orientação sexual e histórico médico e criminal, por exemplo;

4) Pedir aos clientes apenas o que é necessário para a realização do serviço ou envio do produto;

5) Seguir suas ações e fluxos nos princípios da boa fé, de acordo com o que rege a LGPD;

6) Manter a transparência com os compradores;

7) Ter meios de garantir a segurança dos dados coletados e protegê-los. Ou seja, usar recursos de criptografia ou prevenção a crimes cibernéticos, entre outros.

O que a Linkseller está fazendo

Por fim, saiba que já estamos nos adequando para garantir o seu direito legal. Assim, poderemos te dar o poder de decidir o que fazer com os seus dados.

Em breve, enviaremos um comunicado para todos os clientes sobre as alterações que serão implementadas.

Da mesma maneira, os novos compradores também poderão tomar suas decisões no ato da contratação. Tudo com transparência e prezando pela sua segurança e desejo.

Agora, é aguardar as novidades e continuar acompanhando o blog da Linkseller para ficar bem informado.

Até breve e boas vendas! negócio.