Net Promoter Score (NPS): o que é e 3 dicas para implementar na sua empresa

Net Promoter Score (NPS)

Avaliar a fidelidade dos clientes é importante. Por isso, entender o que é o Net Promoter Score (NPS) e como aplicá-lo é essencial. Dessa forma, na sequência você confere:

  • O que é Net Promoter Score (NPS) e sua relação com a Pesquisa de Satisfação;
  • Como funciona a classificação dos clientes;
  • Como calcular;
  • 3 dicas para implementar.

Agora, é ler até o final, colocar em prática e ver os resultados na sua performance. Boa leitura!

O que é Net Promoter Score (NPS) e sua relação com a Pesquisa de Satisfação?

Em primeiro lugar, o Net Promoter Score (NPS) tem a missão de criar um panorama da opinião dos clientes sobre seu produto ou serviço.  Então, assim, avaliar o grau de lealdade.

Criada por Fred Reichheld, nos Estados Unidos, a primeira aparição da métrica foi em 2003, em uma matéria publicada na revista Harvard Business Review.

Com ela, é possível compreender pontos fortes e fracos e até melhorar processos, por exemplo. Pois, a partir da percepção dos consumidores, ficam claros os erros e acertos.

Sendo assim, pode-se dizer que o NPS é uma metodologia de pesquisa de satisfação que avalia aspectos como atendimento e experiência do cliente.

Assim, através de uma série de perguntas fechadas e abertas, ou seja, onde a pessoa dá uma nota de 0 a 10 e também expressa sua opinião livremente, é possível classificar os compradores.

Com o cálculo e a classificação, o Net Promoter Score consegue avaliar o grau de fidelidade. Entretanto, mais do que aplicar a metodologia é preciso entender que a base é o relacionamento. Por isso, é preciso investir nesse pilar.

Como funciona a classificação dos clientes?

Net Promoter Score (NPS)_dicas

Agora, na prática, como é possível aplicar o Net Promoter Score (NPS)? Para começar, saiba que essa é uma metodologia simples e que é compreendida facilmente por todos na empresa.

Então, seu grande diferencial está no poder de transformação. Afinal, com os resultados obtidos é possível gerar mudanças no atendimento e nas ações de pós-vendas, por exemplo.

Além disso, é preciso unir as perguntas aos dados e indicadores positivos, para medir sua relação. Assim, por exemplo, aplicam-se questões como: “Em uma escala de 0 a 10, o quanto você indicaria a nossa empresa?”.

Com a nota atribuída e a quantidade de respostas você cruza informações e identifica melhorias. Assim como, faz a classificação dos clientes, que funciona assim:

Promotores (notas 9 ou 10)

Enxergam valor no que você oferece e se sentem bem na empresa. Sendo assim, são leais e capazes até de defender a marca. Geralmente, correspondem a maior parte da receita e são fundamentais no Net Promoter Score (NPS).

Neutros (notas 7 ou 8)

Estes já não são tão ligados à marca e, consequentemente, são considerados como passivamente satisfeitos, mas não fieis. Com isso, facilmente podem ir para a concorrência.

Detratores (notas de 0 a 6)

Por último, abaixo de 6 a insatisfação é certa. Ou seja, em algum lugar a sua empresa errou com essa pessoa ou atraiu uma persona equivocada.

Então, aqui é preciso identificar as causas do problema e tentar resolvê-lo. Assim como, checar o perfil do cliente para evitar fazer negócio com indivíduos semelhantes.

Como calcular o Net Promoter Score (NPS)?

Bom, entendida a classificação dentro do Net Promoter Score (NPS), como então fazer o cálculo? A fórmula é simples:

% de clientes Promotores – % de clientes Detratores

Assim, a porcentagem deve ser calculada sobre a quantidade de respostas e a classificação. Por exemplo: em 10 respostas, 6 promotores, ou seja, 60% ou 0,6. Faça essa relação com todos: promotores, passivos e detratores e calcule.

O resultado será também uma porcentagem. Então, com ele, verifique como está o posicionamento da empresa:

  • Zona de excelência: entre 75% e 100%;
  • Zona de qualidade: entre 50% e 74%;
  • Zona de aperfeiçoamento: entre 0% e 49%;
  • Zona crítica: entre -100% e -1%.

3 dicas para implementar o Net Promoter Score (NPS) na sua empresa

Por fim, agora que o processo do Net Promoter Scores (NPS) ficou claro, fique atento a 3 dicas essenciais para implementá-lo corretamente:

1) Atente-se à amostragem: ela não pode ser nem grande, nem pequena, mas sim representativa. Se puder, faça a pesquisa com todos, esse será o panorama mais real;

2) Tenha uma periodicidade para realizar o Net Promoter Score (NPS): não adianta realizá-lo apenas uma vez. Portanto, nos “encerramentos de ciclos” ele deve ser aplicado;

3) Levante dados junto a todos os clientes classificados: afinal, embora muitas pessoas pensem que devem focar suas melhorias e esforços apenas nos detratores e promotores, isso é errado, pois os passivos também podem ser aprimorados.

Assim, a melhor forma de garantir que você tenha em mãos os dados que precisa é com o uso de um sistema de CRM.

Por isso, fica o convite para conhecer os recursos do CRM de vendas da Linkseller e fazer um teste gratuito de até sete dias.

Use-o, aplique o que conheceu aqui e eleve sua performance. Boas vendas!